Sorvetinhos que me Seguem...

"...Educação Infantil...e materiais para educadores"
Visite!
"O sonho mais ousado que você tiver... ainda será pequeno, comparado ao que Deus reservou para você!"

Chuvinha...

1 de fev de 2010

Adaptação das crianças

A decisão de matricular o filho na Educação Infantil é movida por diferentes razões. Alguns precisam apenas de um lugar para deixá-lo, enquanto outros entendem que esse é o ambiente mais apropriado pata os pequenos. Nos dois casos os primeiros dias na creche costumam não ser fáceis. As mães (ou responsáveis) choram discretamente, se sentindo culpadas pela separação, e a criançada abre o berreiro ao verem os adultos saírem pela porta.
Evitar cenas assim é possível quando os profissionais da escola programam uma boa adaptação para todos.

Período de adaptação

Objetivo: Promover uma boa adaptação de bebês e crianças pequenas.

Conteúdo:
  • Familiarização com o ambiente escolar;
  • Percepção de si e dos demais que dividem o mesmo espaço;
  • Separação com tranqüilidade da família em uma parte do dia.


Material:

  • Foto das crianças com a família e com animais de estimação,
  • objetos de apego (brinquedos, cobertores, peças de roupa etc.),
  • cartolina,
  • fita adesiva,
  • tapetes e almofadas.
Organização da sala:
As crianças devem ser reunidas em roda para a apresentação das fotos e dos novos objetos. Os bebês que ainda não se sentam ficarão acomodados em bebês-conforto ou no colo de um adulto.


Desenvolvimento: 1ª Etapa

Para conhecer as crianças antes mesmo do primeiro dia na creche, no dia da matrícula os pais deverão preencher um questionário. Com os dados é possível construir um breve histórico e, assim, saber mais de cada uma delas. Aproveite para fazer uma lista com o nome de todos. Essa simples providência mostra aos pais (e também aos filhos) a preocupação em receber a todos. Peça fotos em que as crianças apareçam com os familiares e animais de estimação. Solicite também os objetos de apego de cada um. Explique que tudo será identificado e ficará na creche para permitir que os pequenos usem o material sempre que sentirem necessidade. Outra boa iniciativa é preparar atividade para que os novatos tenham vontade de voltar. Como sugestão use balões e pedaços de tecidos para enfeitar a sala.

2ª Etapa:

Nos primeiros dias, é comum é comum ter pais ou responsáveis dentro da sala. Integre-os às atividades e aproveite o momento para adquirir mais informações sobre a rotina caseira. Na hora da troca da frauda, por exemplo, chame o adulto e observe como ele faz. Mais tarde inverta os papéis. O mesmo vale para outras ocasiões, como a alimentação, o banho e o acalanto.

3ª Etapa:

Com os retratos confeccione um cartaz e escolha um canto da sala para fixá-lo. Esse lugar será conhecido por reunir os pertences trazidos de casa. Coloque o tapete no chão e espalhe almofadas e objetos pessoais. Sempre que surgir algo novo, faça uma roda e conte de quem é. Descreva os integrantes da família e estimule cada um a apresentar a sua.

4ª Etapa:

Convide a família a visitar sempre a sala e acompanhas como anda a adaptação. Para os que têm pouca disponibilidade de tempo por causa do emprego, registre som fotos algumas situações que revelem a boa integração com o ambiente (a criança brincando no tanque de areia, se alimentando, olhando o mural etc.). Planeje momentos permanentes de participação da família. Em uma oportunidade, convoque um pai ou uma mãe para contar histórias às crianças. No mês seguinte, chame um grupo para ensinar as tradicionais brincadeiras e cantigas de rodas que conhecem.


Avaliação:

Observar o comportamento dos pais ou responsáveis e, é claro, das próprias crianças é a única maneira de saber se a adaptação está sendo bem sucedida. Co os pequenos repare se ainda há choro na hora da entrada. O sinal que está tudo bem é quando eles conseguem se entreter com um brinquedo ou com um colega. Para não se perder elabore uma ficha, destacando os comportamentos que você pretende observar. Com isso será possível perceber se houve evolução. Os especialistas lembram que esse é um trabalho contínuo, pios o afastamento por doença ou por um simples fim de semana pode requerer uma nova adaptação.


Fonte: Revista Nova Escola (novembro/ 2007) e pesquisa na internet.

3 comentários:

Simone Blanco disse...

Encontrei seu blog e achei muito lindo, estou começando na educação infantil montando uma escola, vou acessá-lo sempre!!!!!!! Bjs e obrigada pelas dicas, em especial a sobre adaptação.

Elisangela Silva disse...

Olá Luene,

Estou iniciando a minha atuação como Coordenadora Pedagógica na Educação Infantil e fiquei muito feliz ao encontrar o sue blog.

Parabéns pela inciativa!

Que Deus te abençoe e continue usando a sua vida para abençoar outras vidas como abençoou a minha.

Abraços,

Elisangela Silva.

Elisangela Silva disse...

Olá Luene,

Estou iniciando a minha atuação como Coordenadora Pedagógica na Educação Infantil e fiquei muito feliz ao encontrar o sue blog.

Parabéns pela inciativa!

Que Deus te abençoe e continue usando a sua vida para abençoar outras vidas como abençoou a minha.

Abraços,

Elisangela Silva.

Espie também...

Related Posts with Thumbnails